Arquivo para categoria Poesias

Poesia 06: O Outro Rei do Natal

krampus-4  Para comemorar a chegada do natal eu decidi por a mão na massa e fazer um poema, algo que não tentava fazer a algum tempo, mas como um escritor principalmente de Terror eu queria fazer algo diferente dos poemas de natal que se encontra por ai. Nada de mensagens de boas festas e felicidade, eu queria explorar o lado negro e assustador do natal então sai em busca de algo que me ajudasse a isso. No inicio pensei em explorar a figura do Papai Noel como um louco invadindo uma casa, mas acabei durante um processo de pesquisa encontrando exatamente o que eu queria numa antiga figura mitológica. O Krampus era retratado no passado como um tipo de assistente do Papai Noel, enquanto o Velho bonzinho entregava presentes às crianças boazinhas o Krampus ia atrás das crianças levadas para assustá-las e puni-las. Com o tempo a figura do Krampus foi vista como pesada demais, ele era retratado como um tipo de demônio e foi substituída pelo carvão, mas em alguns lugares dos Alpes a figura do Krampus ainda é usada. Decidi então fazer o poema para homenagear a essa figura esquecida, mas importante, do Natal. Eu ainda não vou desejar boas festas por que esse não é o ultimo post preparado para hoje.

Leia o resto deste post »

, , ,

Deixe um comentário

Poesia 05: Coisas Frágeis

 O Nome dessa poesia veio da ótima coleção de contos e poesias de Neil Gaiman, Coisas Frágeis foi lançado no Brasil dividido em dois volumes pela Conrad, recentemente durante uma promoção da submarino consegui os dois volumes por um preço minúsculo, um dia enquanto encarava as capas deles o nome coisas frágeis ficou preso na minha cabeça, com o tempo esse poema surgiu na minha cabeça e depois de rescrever ele algumas vezes cheguei a essa versão final que eu gostei bastante.

Leia o resto deste post »

,

Deixe um comentário

Poesia 04: O Homem do Espelho

 A poesia de hoje foi uma tentativa de escrever uma poesia de terror, a ideia nasceu de um conto que nunca consegui terminar e como acabei ganhando certo amor à ideia então decidi tentar usá-la de outra forma.  Eu não gosto de espelho e o motivo principal não é pelo fato de eu não ser uma vista bonita, existe algo na ideia do reflexo que simplesmente eu não consigo aceitar, eu tenho um medo completamente irracional de que meu reflexo pare de agir como um reflexo, foi dessa ideia que o conto nasceu, morreu e virou uma poesia. O quote veio de Neil Gaiman, eu falei um pouco dele aqui.

Leia o resto deste post »

,

1 comentário

Poesia 03: Tempos Passados

 Falar sobre essa poesia é complicada para mim, ela carrega um pouco de autorretrato, além de uma tentativa de escrever algo meio Folk, minha visão durante a escrita foi um homem durante os anos 30 ou 40 sentado bebendo uísque num bar enquanto fuma um cigarro. Acho que o estilo dela se encaixa mais com uma musica do que uma poesia em si, quem sabe um dia tiro meu velho violão do armário e transformo-a em uma canção. O quote e a foto do post vêm do musico americano Tom Waits, que serviu de inspiração durante a escrita dessa poesia.

Leia o resto deste post »

,

Deixe um comentário

Poesia 02: O Rei de Lugar Nenhum

 Para terminar o dia mais uma poesia que escrevi num momento de tédio, eu realmente não sei explicar de onde veio à inspiração para essa aqui, provavelmente a mistura de excesso de café com pouco sono. Eu comecei a escrever quando veio à imagem de um garoto com uma coroa enferrujada sentado num trono feito de lixo e o resto da poesia se escreveu sozinha, acho que é isso que chamam de momento de inspiração. O Quote inicial veio do poema O Rei do Sorvete (The Emperor of Ice-Cream no original) por Wallace Stevens. Para finalizar uma musica que eu escutei enquanto escrevia essa aqui foi King of Fools do Poets of The Fall. Leia o resto deste post »

Deixe um comentário

Poesia 01: Meia-Noite

 O Post de hoje na verdade não é um conto e sim um poema, ou algo parecido com um poema. Esse aqui eu escrevi há algum tempo já e a principal inspiração dessa vez foi o curta “Night on Bald Mountain” que faz parte do filme “Fantasia”, o curta para mim esta entre uma das coisas mais deliciosamente assustadoras feitas na historia da Disney e por incrível que pareça não é tão difícil assim de achar coisas assustadoras e, ou perturbadora nos filmes mais antigos da Disney. Como um grande fã da Disney clássica eu digo para todos que ainda não assistirão Fantasia ir ate a locadora mais perto e assista, pois o filme é uma verdadeira obra de arte. Além da própria “Night on Bald Mountain” outras peças de musica clássica me ajudaram a escrever essa poesia o que é algo raro no meu processo de escrita já que normalmente ele vem acompanhado de alguma banda de Rock. O quote inicial vem de Edgar Allan Poe, lembra que eu falei dele aqui?

*Sim a imagem foi a mesma do post sobre “O Corvo”, estava sem saco de ir atrás de uma nova. Leia o resto deste post »

, , ,

Deixe um comentário